terça-feira, 1 de setembro de 2009

TUM TUM TUM BATE O CORAÇÃO

Se me sinto assim é porque as bençãos me foram dadas. Sabe quando o coração aquieta, pois é. E veja: amarelo são meus sorrisos. Passei a escutar as cores porque elas é sim que me fazem sentido. São palavras que somos abençoados a ver, como somos agraciados por ouvir nosso coração. Veja que se o coração bate bate macio. E se tá torto é causo médico. E ele, o Dr., aprendeu a ouvir. Acho que se eu fosse doutor do coração eu escolheria um bom pela cor.

Mas quero mais é descançar, conheço médicos, eles estudam muito. Não que me faltou energia. Nem posso dizer que não tive oportunidade. Mas me levei pelo barulhinho simsim pirilim pimpim que fazem as palavras. E elas se escondem como se esconde uma batida do coração. E se o tal elétro pega esse badulaque que se escondeu, azar o meu escolher o mais difícil, como é quase impossível achar uma palavra escondida. Ela não demonstra ela se des-mostra.

E se ele precisa de outro coração para arrumar o barulhinho escondido, do que preciso eu? Vinho sei que é ótimo, saudade também e amigos por toda a parte, pelas partes de longe, de preferência, porque ai vem mais forte a presença em forma de saudade. E a memória que é uma forma de viver um pouquinho mais.

Ai então eu pego aquela palavra que falta pelo laço. Nem que seja uma simples letras para os que me julgam tolo por ter nas mãos o tudo que forma a todos. E se me falta um simples "c", o doutor que me perdoe, mas posso dar-lhe apenas um "oração". E se não encontro fica o coração sem seu tum tum tum. Mas tudo bem, ao menos deus escutará.

2 comentários:

betharr disse...

eu te felicito pelo trato com as palavras!
duplamente tua fã, San: pelas imagens
e palavras em moviemtno!

Carolina Vicentini disse...

velho, que bom que entrei aqui. tava com saudades suas.