sábado, 10 de abril de 2010

É no nascer do sol que se põe certas inquietações

Começa sempre com os passarinhos cantando, mas quando se está com muito sono não se escuta.  E então se acorda antes mesmo do despertador mas aquele rosto lindo, quentinho de sono, diz que não se dormiu. E você diz que dormiu sim, querendo mostrar uma responsabilidade que sequer pensa ter. Na verdade só se quer ficar ali, abraçado no frio,  encolhido, braços cruzados pra esquentar, mangas esticadas pra esconder as mãos, esquentando um pedaço de sono atrasado. Mas, com pressa de viver, sai depressa, esquecendo que já se vive. Então o sol nasce, bem devagar, no horizonte, e aumenta a certeza de que algumas coisas a gente vai deixando pra trás. E pensa se aquilo poderia ser sempre, mas se sabe que nunca mais pode ser igual, porque as coisas não se fazem de novo. E desde já me dá saudade, e desde já vira pensamento que o coração não compreende. E desde sempre fui assim.  

*imagem tirada durante um passeio fotográfico na represa de Rio Preto. Mais imagens em: vistasantiago.blogspot.com

6 comentários:

Geso Jr disse...

Aumenta a certeza de que deixamos algumas coisas para trás, mas pode se assegurar, caro San, que eles ficam registradas num documento chamado Vida!!!

Abraçoo e boa semana

Anônimo disse...

momentos rápidos duram mais tempo na gente..

Schiavoni disse...

Como diria o sábio poeta popular Lulu Santos, "nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia"

Talita Fernanda disse...

Sempre haverá saudades....mas haverá tb oportunidades para mata-las...depende de nós...tudo e sempre...

Ziris disse...

Puxa, achei seu blog pelo 'a gente podia se ver no ar'.
Me encantei com esse post! Quanta delicadeza e simplicidade de lembranças. Fez-me sorrir e chorar ao mesmo tempo...

Voltarei sempre...


Um abraço Ziris

Carolina Bataier disse...

ai, achei assim, aconchegante. uma graça.