quinta-feira, 5 de abril de 2012

Apresentações

Essa noite apresentei vocês dois. Você, de antes, precisava conhecer você, de depois. Senão eu é quem ficaria infeliz. Entender que passado não pode nem deve enfrentar o futuro - e vice-versa - é preciso. Assim vocês dois podem, quem sabe, aprender alguma coisa um com o outro. Das lições que tiraria desse encontro, separo o respeito pelo que passou e pelo que está por vir. Cada qual precisa entender sua riqueza e respeitar a riqueza do outro, sob o risco da infelicidade de cada uma das partes, inclusive a minha. A sabedoria do velho diabo, assim como a inocência da criança precisam ser entendidas cada um nas suas condições primárias. O diabo é sábio porque é velho, a criança peralta porque é nova. E eu, nessa história, procuro a sabedoria do velho sem deixar a peraltice do menino. Quase um diabinho.

3 comentários:

z i r i s disse...

Velho... novo... Santiago!

Li e um susto. E agora, o que fazer depois de ter lido? Milhões de pensamentos meu e de tantos, atropelaram-se dentro de mim. Os segundos flutuaram tão va-ga-ro-sa-men-te. Olhei ao redor, ainda era eu, sem forças para me tocar e constatar. Mas quem seria a Ziris, de adiante?

Lembrei também de Chico, recentemente ido. Não tenho medo de morrer, tenho pena. Divido. Identifico. Mas e o envelhecer?


E o envelhecer?

jackie disse...

Thank you!!! Wonderfull post,

Bárbara Silveira disse...

Um dos mais significativos. E como Ziris, agora que li sou consciente e que medo.