domingo, 25 de setembro de 2011

Estrela, caia



Se pego aquela moça alta, te cutuco com ela, estrelinha que não cai. Só pra você ver que não adianta ficar ai parada no céu. É primavera, logo as flores e folhas caem, menos tu. Porque não aproveita e cai junto? Assim desce acompanhada, lentamente, até o chão que lhe acolhe. Sei bem que é medo, puro medo. As que aqui comigo tiveram me contaram. Elas são corajosas; belo dia - ou noite - nada disseram: cairam! E aqui vieram pra não voltar. Mas como tem tantas iguais no céu, daqui desse pedacinho de terra seca, tu pareceste só mais uma, e é assim que será pra mim, mesmo caindo aqui. Daí de cima, porém, sei que sequer daqui de baixo tens visão. Vale a pena, então? É... esses pensamentos... Mas sabe, estrelinha que não cai, caia; veremos depois se talvez não torna-te desejo de alguém. Será bem recebida, é verdade, mas logo eu a colocaria de novo no céu, pra cair em outro lugar. Os lugares são tantos em que caimos, não é verdade? Destes, só os que caimos mais calmamente e aconchegadamente nos lembramos. E talvez seja melhor esta lembrança boa do que o fogo de cair cadente.

5 comentários:

Pipa. A Pipa dos Ventos disse...

No céu as estrelas parecem boomerangs fosforescentes enfrentando o vazio do infinito. Brilho de faca-só-lâmina. Espantando à navalhadas quaisquer coisa que ouse interpor o seu caminho.

Pipa. A Pipa dos Ventos disse...

Acordei no meio da madrugada pulando as poças dos olhos. Queria os abertos. O preço e as consequências pouco importam.

Noe* disse...

Engraçado o desejo de cada um. Eu quero mais é que as estrelinhas não caiam... É por isso que as costuro! Às vezes passo dias e mais dias costurando essas teimosas.
Até hoje eu não sabia porque elas caiam. Agora já sei aos pedidos de quem elas atendem :)

Velho Santiago disse...

No céu, Pipa, elas fostoram sim, é verdade. Precisa ver aqui dentro, ô da rabiola, o quanto essas estrelinhas que aqui caem podem brilhar! Se bem é verdade que umas chegam sem vontade, e continuam com aquelas intermitências boomeranguestas.

Mas outras se incendeiam.

Essas últimas nem sempre voltam. Na verdade quase sempre voltam pra outro céu. É melhor assim...

-#-

Sabe que pois, Noe*, também tens razão. Mas depende da hora em que olha para o céu. Se o céu está assim todo cheio, enche os olhos olhar para ele. Não queriria que caíssem também não. Mas o céu vazio, escuro, sujo dessa minha presente estação do ano, Noe*, me leva implorar por uma dessas, cadentes.

Quero elas por bem pouco tempo.

Faço pedido mas me atenho a uma só, aquela, que aparentemente brilha mais brilhosa, com vontade, parece que pisca, aquela linda!

Noe* disse...

Pode deixar!
Agora já sei. Deixarei uma ou outra sem nó de marinheiro :)
Terás então, uma estrela cadente. E saberás que foi deixada assim solta, para atender ao seu pedido. O que significa que vc será a única pessoa com dois desejos atendidos e uma estrela cadente... E poderá se considerar uma pessoa de muita sorte, por ter uma estrela designada a atender algo seu!