quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

OS PÉS QUE NÃO SABEM ANDAR

Por hora está ainda lá. É quase único: divide o quintal com um coqueiro. Mas o fato de menor importância é que ambos não andam. E isso de certa forma me entristece.

Queria dar pés aos pés de coisas, mesmo os pés de árvores mais simples.

E fico cá eu, pensando em como se ensina pés de coisas a andarem. E quando andarem, que triste fico eu cá, já que vejo em suas folhas o mesmo tempo que meu rosto também já carrega.

2 comentários:

Pipa. A que sonha. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pipa. A que sonha. disse...

Ler você, me deu vontade de escrever:


"Sobre o Tempo"


À ti,



Ofereço.



P.S.: Te seguro. Me seguras.