quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Entre um e outro, no meio de todos


Ali, enquanto esperava, procurei outro livro que me interessasse. Entre a prateleira Matemática e Direito Jurídico, entre um e outro, no meio de todos, estava eu. Senti vontade de sentar, como se para absorver aquela leitura toda que jamais farei. Lembrei disso. Não vai dar tempo, nem que tente, ler todos e todos esse livros. Naquele momento me decidi por não ler nenhum. Ficar ali, olhando, folheando, tentando não permitir que eu lesse e reconhecesse todos os sígnos e simbolos linguísticos. Queria que fosse em latin, ou outra língua desconhecida para mim. Queria apenas o sentimento da leitura, o conhecimento de que ali coisas importantes existem, mas não queria saber o que são. Queria neutralizar qualquer tipo de pensamento, como o apaixonado que sente dor, febre e que não sabe o porquê. Queria apenas sentir que havia ali algo que valesse a pena ser lido. Lembrei de um pedaço de missa em latin que assisti. Fiquei pensando que ali, naquelas poucas palavras que eu não compreendia, existia algo que valesse a pena nos homens.   

3 comentários:

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

O pensamento faz o escritor, mas sobretudo, o sentimento.

Ju Fuzetto disse...

E sentir é mais do que tudo.
Belo texto!!!

beijo

Pipa disse...

Acabei de escrever um texto em plena noite de insônia e lembrei de você. Cheguei aqui e vi esse post seu: coincidência! =]

beijo grande,

Pipa